Cabelo Oleoso? saiba porque!

Mulher com cabelo bem cuidado

Cabelo Oleoso? saiba porque!

Para falarmos de cabelo oleoso, primeiro é necessário deixar claro que a oleosidade é algo muito bom e benéfico tanto para o nosso corpo quanto para o nosso cabelo. Ela serve como um manto hidrolipídico — isso quer dizer que funciona como uma película que impermeabiliza e impede a perda de água dos fios, por exemplo.

O excesso é que constitui um problema, e é sobre isso que vamos comentar hoje.

Continue a leitura e entenda!

O que é a pele?

A pele é o maior órgão do nosso corpo, e é nela que se dão diversas funções essenciais para a nossa sobrevivência e conforto. Ela nos protege da radiação, recebe frio e calor, ajuda-nos a não perder água e é responsável pelo tato. Na pele, nós também encontramos duas camadas. Veja:

  • epiderme: a mais superficial, que não é vascularizada e que, portanto, fica exposta ao meio externo em que vivemos — também encontramos as terminações nervosas e a saída dos pelos nela;
  • derme: por sua vez, tem duas camadas, a derme papilar e a derme reticular, na qual encontramos os anexos — as glândulas sebáceas, sudoríparas e os pelos.

Há também a hipoderme, que não é considerada parte da pele, mas serve como união entre a pele e os órgãos que se seguem. Aqui, podemos encontrar tecido adiposo (gordura) em maior ou menor quantidade, dependendo da localização.

O ciclo de renovação da pele acontece diariamente no nosso organismo e, por isso, a eliminação de células mortas é constante.

Como vivemos em um país tropical, a renovação é maior devido ao excesso de oleosidade que a pele secreta para se proteger dos agentes externos, inclusive calor e frio.

Vai chegando o verão e, com ele, também muitas festas, como o carnaval, que traz consigo bastante folia e suor abundante eliminado do corpo. Suor esse que é ácido e um grande agente responsável por alterar o pH da pele, fazendo com que ela excrete mais oleosidade para se preservar.

Essa relação entre a acidez e a oleosidade acaba acarretando a produção de uma oleosidade excessiva e alcalina, tanto na pele quanto no couro cabeludo.

Por que temos cabelo oleoso?

São alguns os motivos que podem acarretar ou piorar o quadro de oleosidade dos cabelos. Além do próprio clima quente que já comentamos, outras ações ou situações acabam agravando o aspecto dos fios. Veja a seguir.

Puberdade

Quando as glândulas sudoríparas e sebáceas trabalham em todo o seu vigor, liberando oleosidade e suor descontroladamente.

Excesso de lavagens

O exagero na limpeza e nas lavagens também é um fator muito agravante, pois acaba tirando a gordura boa do couro cabeludo (que faz proteção ao couro) e força o corpo a liberar mais oleosidade para fazer a compensação. Esse processo é conhecido como “efeito rebote”.

Abafamento/aquecimento

O uso de bonés, capacetes e cremes, o excesso de sol, a presença frequente em ambientes quentes e/ou mal ventilados: tudo isso pode provocar o aquecimento e o abafamento do couro cabeludo, o que faz com que o corpo, tentando se defender desse agressor externo, libere mais oleosidade e forme uma camada de gordura.

Cabelo úmido

Quando associamos o cabelo úmido recém-lavado e sem secagem ao uso de bonés, capacetes e cremes, acabamos por abafar a região. Isso pode causar a proliferação de fungos (afinal, todo ambiente que é molhadinho e quentinho se torna perfeito para a proliferação de fungos).

Prática de exercícios

Durante a prática de exercícios físicos, o estímulo de renovação do corpo e das células é aumentado, o que causa maior oleosidade. Mas isso nem sempre é um problema! Só é necessário lembrar de fazer uma boa higienização e uma boa secagem do couro cabeludo posteriormente (quando isso não acontece, o excesso de oleosidade se acumula, acarretando a má aparência dos fios e aquele incômodo).

Falta de higiene

Outro fator que agrava a oleosidade, já que, com a falta de lavagens, algumas bactérias entram em contato com o couro cabeludo para se alimentar das células mortas que são naturalmente eliminadas do corpo. Quando isso acontece, mais bactérias acabam se proliferando e depositando seus compostos na região, atraindo mais micro-organismos que agridem o couro. É um ciclo vicioso, pois, com isso, o couro cabeludo acaba liberando ainda mais oleosidade para se defender.

Alimentação gordurosa

Quanto mais oleosidade consumimos, mais oleosidade o organismo tende a expelir.

Agressores químicos

Progressivas, alisamentos e até colorações e descolorações são agressores químicos externos que podem não somente causar o excesso de oleosidade, como provocar alergias.

Desequilíbrios hormonais

Nesse caso, é importante procurar um médico de confiança que possa auxiliar no diagnóstico e nas causas do desequilíbrio.

Tantas dúvidas esclarecidas sobre o assunto acabam instigando novas questões, certo? Afinal, esse é um assunto amplo, do tipo que pede aprofundamento e pesquisa para que seja tratado da melhor e mais efetiva maneira possível.

Como tratar a oleosidade?

Não se desespere! Existem diversos tratamentos aptos a ajudá-la com a saúde dos seus cabelos, que podem ser utilizados de acordo com o nível de gravidade da sua oleosidade e também de acordo com a sua disponibilidade e comodidade.

É muito importante que você faça um bom diagnóstico da causa de sua oleosidade. É comum que fios mais finos, lisos e curtos carreguem o problema, mas é também possível que outras circunstâncias intensifiquem a oleosidade. Além de todos os motivos citados acima, é possível que, até mesmo, o estresse tenha influência no estado dos seus fios.

O ideal é seguir os três passos abaixo. Entenda!

Diagnóstico

Uma análise profissional do seu couro cabeludo é essencial para descobrir qual tratamento melhor se encaixa no seu problema. Vá a um médico endocrinologista, para verificar se os seus hormônios estão em equilíbrio, ao dermatologista, para entender os motivos que fazem com que sua pele não esteja saudável, e também ao salão de beleza.

Sim, hoje em dia, os salões de beleza, além de contarem com o apoio de profissionais tarimbados, que compreendem a fundo a questão, têm também máquinas capazes de realizar diagnósticos personalizados. O resultado desses diagnósticos aliado à opinião do profissional é um combo imbatível na hora de cuidar dos seus fios de maneira correta e eficaz. Lembre-se de buscar um especialista na área, que tenha conhecimentos comprovados em terapia capilar e tricologia.

Tratamento medicamentoso

Depois de receber seu diagnóstico e concluir quais são os principais problemas responsáveis pela sua oleosidade, é chegada a hora de iniciar um ou mais tratamentos e caminhar para a resolução da questão.

Existe a possibilidade de o seu quadro necessitar de remédios indicados pelo médico, como repositores hormonais, vitaminas e suplementos, que reduzem a atividade das glândulas sebáceas, lembrando que é importante seguir as recomendações do profissional de saúde à risca e só usar medicamentos por ele apontados.

São esses também os profissionais que indicarão o tratamento adequado caso você tenha desenvolvido fungos no couro cabeludo. Lembra da possibilidade de isso ocorrer por conta da umidade? O tratamento pode ser feito por via oral ou tópica.

Além disso, existem os produtos indicados pelo profissional do salão de beleza, como shampoos de pH neutro, shampoos adstringentes e antirresíduos (que devem ser usados, no máximo, uma vez por semana). Esses shampoos servem para tirar o excesso de oleosidade existente no couro e não para hidratar os fios. Por isso é sempre tão importante utilizar um produto voltado ao seu tipo de cabelo!

Tratamento de rotina

Depois que você já identificou se tem algum problema mais sério relacionado à sua oleosidade, é chegada a hora de adotar alguns hábitos de rotina, caseiros e muito simples para auxiliá-la nesse combate!

  1. lave os cabelos: as pessoas sempre perguntam se podem lavar os cabelos todos os dias, e a resposta é sim! Lave os cabelos todos os dias e mantenha uma rotina de higiene focada. Só não esqueça de secar bem e não abafar o couro cabeludo, para não incentivar a proliferação de fungos que causam desconforto e mau odor;
  2. escolha os produtos certos: se o seu couro cabeludo é oleoso, não faz sentido que você utilize shampoos e condicionadores para fios secos, certo? É essencial que você dê atenção aos produtos que utiliza no dia a dia para não piorar o quadro;
  3. ao passar condicionador: não aplique-o, em hipótese alguma, na raiz do cabelo. Use-os exclusivamente nas pontas e, caso seu cabelo seja misto, um pouco no comprimento, lembrando de enxaguar bastante em seguida.
  4. durante o enxágue: fuja da água super quente, certo? A temperatura alta é inimiga de cabelos oleosos, pois acelera a atividade das glândulas sebáceas;
  5. na hora de pentear: evite cremes sem enxágue, pomadas, ceras, silicones ou óleos. Se for imprescindível o uso de um produto, opte por gel, mousse ou leave-in, sempre sem exagero!

Viu só? Com as informações corretas e a ajuda de profissionais que conhecem do assunto e podem auxiliar cada caso, levando em consideração as suas especificidades, é possível dar adeus ao cabelo oleoso ou, ao menos, reduzir bastante seus malefícios.

E você, já colocou essas dicas em prática? Conhece alguém passando pelo mesmo problema? Deixe seu comentário!

Vagner Valsi
Hair Stylist

imperiosalone

No Comments

Comente